Páginas

sábado, 27 de novembro de 2010

confecção da arvore de natal.........


Meus alunos do pre II resolveram utilizar a arvore que confeccionamos em comemoração ao dia da arvore para ser a arvore de natal da turma, de inicio me espantei um pouco pois nao tem nada a ver com pinheirinho de natal então me disseram que queriam deixa-la pois tinham eles proprios feito a colagem das cascas transformando em arvore....resolvi acatar a decisão deles entao começamos a fazer os enfeites da nova arvore de natal.......todos ajudaram e adoraram o resultado.........











Enfim nossa arvore de natal ficou linda...........

decoração de natal do pre II











quarta-feira, 24 de novembro de 2010

projeto educacional


PROJETO: INCLUSAO DIGITAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL – crianças de 5 anos

PROFESSORA: Adriana do Rocio Varussa

CMEI PROFESSORA CACILDA BORN ALVES


TURMA: PRE II

INÍCIO:01/09/2010

DURAÇÃO: INDETERMINADO

INTRODUÇÃO                                                                                                               


O presente pré-projeto da inclusão digital na educação infantil busca desenvolver nas crianças capacidades e habilidades na área digital e proporcionar novos conhecimentos, respeitar o seu desenvolvimento e potencializar suas formas de comunicação no século  XXl. 
A inclusão digital nos dias de hoje, torna-se  uma necessidade social que facilita, viabiliza e possibilita aos indivíduos uma participação ativa na construção da sociedade na qual estão inseridos. Desta forma, acreditamos que este conhecimento pode e deve ser proporcionado às crianças pequenas, visto que sua inteligência  e sua capacidade são aguçadas diariamente na escola e em casa.   
A Educação Infantil muito tem contribuído para o pleno desenvolvimento das crianças, pois é através dela que este público se desenvolve em todas as áreas do conhecimento e aprende a se socializar. Portanto, quando falamos em era digital, estamos falando das formas de aprimorar a socialização destas crianças.
PROBLEMA:
   Qual a melhor estratégia de se aplicar um software educacional com crianças de 05 anos, sem deixar que fiquem como crianças passivas e sim ativas?  
HIPOTESE:
- A possibilidade de implantar um software educacional na instituição pode favorecer  o processo de aprendizagem da criança;
- Sendo um método digital, o mesmo pode contribuir para a autonomia da criança, respeitando suas  fases de desenvolvimento;
JUSTIFICATIVA:
Considerando o interesse e a curiosidade desta faixa etária, buscamos desenvolver e tornar as aulas mais interessantes, atrativas e interativas. Um dos instrumentos para viabilizar este caminho foi a apresentação do computador m sala de aula e a implantação do software educacional.
Foi apresentado às crianças o computador  not book na sala de aula e o programa, o qual, gerou grande euforia e  interesse pela máquina, inclusive por crianças de classe econômica desfavorecida. A partir de então, não tivemos dúvidas de que este instrumento seria um grande aliado no processo ensino-aprendizagem destas crianças.
A educação exige cada vez mais inovações e pensando desta forma, acreditamos que a informática só vem contribuir para o desenvolvimento integral das crianças.
Assim justifica-se o projeto.
OBJETIVOS:
- Oportunizar as crianças da referida  idade o contato com a informática e a possibilidade de interagir com o programa educacional implantado;
- Contribuir para o processo de alfabetização e letramento da criança, respeitando  suas fases de desenvolvimento e aprimorando suas habilidades;
- Desenvolver além da linguagem oral e escrita, o raciocínio lógico-matemático;
- Estimular o mundo da criatividade e da fantasia através dos jogos e brincadeiras interativos.
REVISÃO DE LITERATURA
    O tema desperta interesse e, ao longo dos últimos anos, muitos educadores puseram-se a refletir sobre as questões que envolvem o assunto.  Freire (1984, p.83) já alertava sobre a necessidade de desvendar-se a serviço de quem estaria a informática na educação. Para ele o que há por trás deste manuseio “é uma experiência de classe, indiscutivelmente”.
De acordo com Fischer  a criança tem o computador como um grande aliado no processo de construção do conhecimento porque quando digitam suas idéias, ou o que lhes é ditado, não sofrem frente aos erros que cometem. Como o programa destaca as palavras erradas, elas podem autocorrigir-se continuamente, aprendendo a controlar suas impulsividades e vibrando em cada palavra digitada sem erro. Neste contexto, podemos perceber que o errar não é um problema, que não acarreta a vergonha nem a punição, pelo contrário, serve para refletir e para encontrar a direção lógica da solução.
         Já para Bruner cada geração dá nova forma às aspirações que modelam a educação em seu tempo. O que talvez esteja surgindo, como marca da nossa, é um amplo renovar da preocupação com a qualidade e os objetivos intelectuais da educação – sem que abandonemos, porém, o ideal de que ela deve ser um meio para bem preparar homens bem equilibrados para uma democracia.
            De acordo com  Lévy, definiu a atual era das tecnologias da informação e comunicação como uma era posterior à da tecnologia da oralidade e da escrita. A era digital impõe uma nova visão de existir no mundo, gerando outras formas culturais, que vêm substituindo princípios, valores, processos, produtos e instrumentos tecnológicos que mediam a ação do ser humano com o meio.
O autor  Fortkamp e Raupp afirma que as crianças entre 4 e 5 anos são mais ativas, sua atividade mental é intensa, reconhece e diferencia formas, cores, texturas, posições, distâncias, sons, reconhece e diferencia quantidades, comprimento, altura, espessura, peso, monta quebra cabeças, ordena fatos de uma história, realiza classificações, seriações, tem concentração por mais ou menos 20 minutos, passa a se interessar por letras, números e jogos (dominó, memória...). É nesta etapa que estão se construindo as categorias fundamentais que permitirão uma apropriação do mundo. Estas categorias correspondem a funções intelectuais, implicativa, explicativa e reguladora que, ao final deste período, darão origem as estruturas do pensamento operatório concreto. Na verdade o trabalho com estes conceitos vai sendo construído desde o início da vida escolar da criança, por isso podemos começar um trabalho na área da informática educativa com crianças a partir dos 3 anos.
 Lévy (1996) definiu a atual era das tecnologias da informação e comunicação como uma era posterior à da tecnologia da oralidade e da escrita.
 A era digital impõe uma nova visão de existir no mundo, gerando outras formas culturais, que vêm substituindo princípios, valores, processos, produtos e instrumentos tecnológicos que mediam a ação do ser humano com o meio.
Bruno Condoin desenvolveu o Gcompris uma suíte de aplicações educacionais que compreende numerosas atividades para crianças de idade entre 2 e 10 anos. Algumas das atividades são de orientação lúdica, mas sempre com um caráter educacional.
            Abaixo encontra-se uma lista de categorias, com algumas das atividades disponíveis em cada uma delas:
·         Descoberta do comutador: teclado, mouse, diferente uso do mouse...
·         Matemática: memorização de tabelas, enumeração, imagens espalhadas...
·         Ciências: controle do canal, ciclo da água, o submarino, simulação elétrica...
·         Geografia: colocar os países no mapa...
·         Jogos: Xadrez, memória, ligue 4, sudoku...
·         Leitura: pratica de leitura;
·         Outros: aprender a identificar as horas, quebra-cabeças com pinturas famosas, desenho vetorial, produção de quadrinhos...
Atualmente o Gcompris oferece mais de 100 atividades e está em constante evolução, é um software livre, o que significa que você pode adaptá-lo às suas necessidades, melhorá-lo e, o mais importante, compartilhá-lo com as crianças de toda parte.
No Gcompris, é dada uma especial atenção para manter a interface do usuário simples e com um design agradável. Mesmo simples, o Gcompris desperta muito interesse nas crianças, mesmo as mais jovens.
MATERIAL UTILIZADO:
_NOTBOOK
_SOFTWARE EDUCACIONAL GCOMPRIS

REFERÊNCIAS

_BRUNER, Jerome S. O processo da educação. São Paulo, Nacional, 1971.
_FISCHER, Julianne. Sugestões para o desenvolvimento do trabalho   pedagógico
_FORTKAMP, T. H. E. e RAUPP, D. M.  Características Evolutivas do desenvolvimento Infantil. Florianópolis: Editora da UFSC, 1989
_LËVY, Pierre. As tecnologias da inteligência. São Paulo: Editora 34, 1996.
Moura, D. G e Barbosa,  Planejamento e Gestão de Projetos, Ed. Vozes -                      2006 .
_ Nova Escola, Tecnologia +conteúdos= oportunidades de ensino, Ed. Abril

_ Nova Escola, Edição Especial, Computadores: janelas para o mundo, Ed. Abril, dezembro 2009.
__Software Educacional GCompris: disponível em: <http://www.gcompris.net>


ARQUIVOS DE FOTOS ATE O PRESENTE MOMENTO









terça-feira, 26 de outubro de 2010